PLANEJAMENTO DE APOSENTADORIA

Um benefício pode ser temporário ou permanente. Solicita-se um benefício temporário em caso de patologias geradas através de uma condição de saúde do contribuinte, ou um acidente em local de trabalho, que impossibilitem o trabalhador de desempenhar a sua função.
Existe, entre as inúmeras possibilidades de Aposentadorias, um benefício específico para cada situação do contribuinte, sendo ele contribuinte individual ou não, servidor público, inválido, empresário, autônomo, ou mesmo que um beneficiário tenha vindo a óbito, se era o genitor da família, os habilitados poderão passar a receber uma pensão em seu nome.
Idosos que não tenham possibilidade socio-econômica para se manter, também terão direito a um benefício assistencial, assim como deficientes.

Quando fazer um Planejamento de Aposentadoria?

A primeira questão a ser definida é o momento em que se deve pensar em um Planejamento de Aposentadoria. A partir dos 35 anos de idade já é aconselhável, mantendo tudo organizado com antecedência. Ter um panorama geral previamente é a chave para a obtenção da melhor condição de aposentadoria possível para cada caso. Quanto antes o planejamento começar, melhor será o resultado final.

Qual é a Vantagem Financeira em um Planejamento de Aposentadoria?

O principal motivo para se realizar um planejamento de aposentadoria é a vantagem financeira que ele pode proporcionar. Confira abaixo as diferentes maneiras pelas quais isso pode ocorrer:

1. Evitar o prejuízo em se aposentar depois do tempo.

Trabalhar mais do que o necessário acarretará em perdas de benefício que, quando acumuladas, somam valor considerável. Não é difícil encontrar pessoas que trabalham 2 anos excedentes. Considerando o valor de R$ 2.000, estes 2 anos resultariam em R$ 52.000 de benefícios não recebidos (24 meses + 2 décimos terceiros).

2. Evitar o prejuízo em se aposentar antes do tempo.

Da mesma forma, pedir a aposentadoria antes de completar os requisitos vai gerar perdas financeiras. Pois se ainda não tiver direito a ela, ao fim de todo o procedimento (que pode durar meses) seu pedido será negado e você não receberá o benefício.

Por exemplo: se o seu tempo mínimo de contribuição for concluído apenas em fevereiro, você pedir a aposentadoria em janeiro e o processo encerrar apenas em julho, a aposentadoria será negada (pois você ainda não tinha direito quando entrou com o pedido) e os benefícios correspondentes aos meses entre janeiro e julho não serão recebidos. Se você entrasse com o pedido no mês correto (fevereiro) receberia todos os meses, mesmo que o processo terminasse apenas em julho.

Isso sem contar que talvez ainda precise arcar com custos processuais ou de manutenção de documentos. O planejamento lhe dirá a data correta para fazer o pedido, garantindo que você já tem o direito à aposentadoria e evitando atrasos em receber benefícios.

3. Contribuir com o valor correto.

Para receber o melhor benefício possível não é exigido contribuir no teto. A média utilizada para calcular o valor da aposentadoria é baseada, a partir de julho de 1994, em 80% dos meses trabalhados. Portanto, 20% do período de contribuição (aquele que tiver a remuneração mais baixa) desde julho de 1994 será desconsiderado. Dessa forma, contribuir no teto durante 100% do período trabalhado é desnecessário. Este é um erro cometido por muitos profissionais autônomos que não fazem planejamento e acabam pagando à previdência um valor maior que o necessário, sem ter nenhum retorno por isto. Como o planejamento faz o cálculo dessa média, ele também mostrará o valor correto a se contribuir.

4. A certeza do melhor benefício possível.

A aposentadoria é algo sério e fundamental na sua estrutura econômica para o resto de sua vida. Fazer um planejamento de aposentadoria é investir na análise específica do seu caso, coletando todos os dados do seu período de atividade. Com estas informações, é possível garantir que você terá a melhor aposentadoria possível dentro daquilo que cumpriu durante o período em atividade.

Como é feito o Planejamento de Aposentadoria?

O planejamento de aposentadoria consiste em uma análise aprofundada e completa dos dados previdenciário afim de se obter o melhor benefício possível. Estes dados (tempo de contribuição, idade, tipo de atividade, cumprimento de requisitos específicos, etc.) são cruzados e apresentam todas as diferentes opções de aposentadoria, com as vantagens e desvantagens de cada uma. Assim, você poderá dar entrada na sua aposentadoria buscando, desde o início, a opção que é a melhor para o seu caso.

Sendo assim, o planejamento de aposentadoria é baseado em: Cálculo do Tempo de Contribuição, Cálculo do Valor do Benefício e Prospecção de Possibilidades

Cálculo de Tempo de Contribuição

O próprio INSS concede gratuitamente a listagem do tempo de contribuição. Entretanto, é muito comum que o órgão apresente falhas nesta questão, fornecendo relatórios com períodos não computados ou registrados de maneira equivocada. Sem contar que a pesquisa do período de tempo no INSS através da internet é simulatório, sem base em dados oficiais fornecidos pelo contribuinte. Já o planejamento de aposentadoria poderá dar mais precisão, relatando com exatidão o tempo de atividade.

O planejamento faz o cálculo, inclusive, de casos mais específicos como a aposentadoria do professor ou a aposentadoria especial, e que a contagem de tempo é feita de maneira diferente da convencional. Como já mencionamos, o objetivo do planejamento é conseguir o melhor benefício analisando individualmente cada situação. No caso da aposentadoria especial, é calculada até mesmo a conversão do tempo especial em comum, caso seja vantajoso converter.

Cálculo do Valor do Benefício

O planejamento também contém o Cálculo do Valor do Benefício, no qual você terá uma expectativa de quanto será sua renda de aposentadoria. Nesta etapa, são listados todos os meses que você contribuiu com o INSS, descartados 20% deles (aqueles com o menor salário), e considerados os 80% restantes. Nestes 80% a média é calculada, resultando no valor do benefício.

Porém, este valor poderá sofrer alterações em alguns casos. Se você se aposentar por Tempo de Contribuição mas com pouca idade, haverá incidência de Fator Previdenciário. Se você possuir direito à integralidade da aposentadoria (como é o caso de funcionários públicos concursados estatutários, por exemplo), será o valor do último salário recebido em atividade, Se você optar por um planejamento de aposentadoria, não precisa se preocupar em realizar estes cálculos, pois eles já vêm prontos.

 

Prospecção da Melhor forma de se Aposentar

Após calcular o tempo de contribuição, o valor do benefício e a idade para se aposentar, o planejamento de aposentadoria vai apresentar as diferentes maneiras de obter o benefício. Assim, você poderá ter uma clara visão das vantagens e desvantagens de cada uma e escolher a que lhe é mais favorável. Vamos dar alguns exemplos:

Exemplo 1: Maria é funcionária pública concursada e recebeu, durante 30 anos, o salário de R$ 2.500. Porém, prestou um novo concurso e assumiu outra função pública, recebendo durante 5 anos o salário de R$ 4.000. O planejamento de Maria apresentará duas possibilidades:

a) Como completou 35 anos de atividade, Maria pode se aposentar por Tempo de Contribuição recebendo a média dos 80% maiores salários, que será aproximadamente R$ 3.000.
b) Como trabalhou todo este período como funcionária pública e cumpriu o requisito de estar há 5 anos no mesmo cargo, tem direito à integralidade. Se buscar seus direitos, Maria poderá se aposentar com renda de R$4.000, pois este foi o último salário que recebeu.

 

Quais são os profissionais capacitados para fazer seu planejamento de aposentadoria?

Tanto um contador como uma assessoria especializada em direito previdenciário poderá fornecer o serviço de planejamento de aposentadoria. Entretanto, o contador se aterá muito mais aos valores a serem economizados e não será o ideal para dar suporte em todas as questões legais a respeito da previdência. Na tentativa de reduzir seus custos ao longo do processo, por exemplo, ele poderá acabar reduzindo, também, o valor do seu benefício. A assessoria previdenciária precisará apenas de uma procuração sua e executará todo o trabalho burocrático necessário. Os documentos que forem exigidos para conclusão de cada etapa também serão comunicados pelo advogado.

Ressaltamos mais uma vez que a aposentadoria é o principal benefício que determinará a qualidade da etapa de sua vida que serve para descansar e ser recompensado por longos anos de trabalho. O conforto e a segurança de ter certeza que ela será obtida da melhor forma possível fazem com que o planejamento seja indispensável.

GOSTARIA DE PLANEJAR SUA APOSENTADORIA?